Friday, June 08, 2007

Divagações de insónia tropical

Somos pequenas borboletas dançantes. Voamos e sonhamos como as borboletas. Somos, como elas, assim frágeis. No corpo e na alma. Somos, assim como elas, cada um de nós, seres apaixonantes, cada um ao seu jeito e sem saber onde reside esse encanto. Como elas, apenas queremos a nossa liberdade intacta. De ser, de estar, de viver, de sonhar. Queremos, como elas, apenas ser felizes.
Incrível como temos tanta gente à nossa volta. E à volta de cada uma dessas pessoas, existem outras tantas "tantas gentes".. E as pessoas vão passando na nossa vida e nós desfrutando dessa passagem. Conhecendo, amando, perdendo, reencontrando. Construindo uma vida ou abandonando para um destino fazer ou não reencontrar. Apenas não nos podemos acomodar. Acomodar é morrer!
Lá fora chove. Daquelas chuvas tropicais que tão depressa vêm como depressa vão. E refrescam a alma nocturna. Uma música certa, um sorriso desconhecido, uma conversa amiga trazem o mesmo efeito refrescante.
Lembro de uma mesma noite de insónia, na varanda da D. Berta, em Bissau, passaram-se sete anos já! Também começou a chover de repente e a escuridão cegava o olhar curioso. Nada aparecia, por mais que os olhos procurassem. Apenas uma lua longa e na esquina do céu. E a chuva ali tão perto era a única companhia viva.
Nessa noite, como esta, dava vontade de sair para a rua, correr a celebrar a vida que estava ali, toda ao meu dispor. E toda a sua mística, mistério, me tomavam de assalto. Como agora.
Sendo (quase) borboletas, temos uma única diferença para estas. Não voamos fisicamente (sem acessórios pelo menos) mas apaixonamo-nos por outras borboletas que se vão cruzando por nós nesta vida, e percebemos que sem elas não temos porque dançar..

5 Comments:

Anonymous claudette said...

foste para Bissau há 7 anos?! dasse...

(as tuas divagações estão excelentes!)

4:33 AM  
Anonymous Ju Maria ;) said...

q texto liindo mana ! :')

assim vale mesmo a pena divagar! :)

és a borboleta mais apaixonada pela vida e que melhor busca a felicidade que eu conheço ! :')

linda ! <3

beijo enorme !! :)
já falta pouco.. ;)

7:37 AM  
Anonymous Anonymous said...

Isso é que foi um momento interessante de divagação, de estar apaixonada pela vida e por todo esse infinito, que se perde na chuva e só se vê uma "lua longa na esquina do ceú" que nem sempre é desconhecido e que nos rodeia... mas essa chuva tropical veio numa "data" interessante (7 anos depois de Bissau! tiveste me Bissau??), afinal o número sete tem o sentido do perfeito e uma mística própria...na religião, na história filosofia, etc...

Mas este post é para partilhar um poema que ouvi num programa de TV de cariz cultural, ou tenta e lembrei-me de ti... talvez pelo que a Ju diz, "és a borboleta mais apaixonada pela vida..."

Então "Rotina" de Nuno Júdice:

ROTINA
Ao abrir a janela do quarto para outras
janelas de outros quartos, ao veres a rua que desemboca
noutras ruas, e as pessoas que se cruzam, no início da
manhã, sem pensarem com quem se cruzam
em cada início da manhã, talvez te apeteça
voltar para dentro, onde ninguém te espera. Mas
o dia nasceu - um outro dia, e a contagem do tempo
começou a partir do momento em que
abriste a janela, e em que todas as janelas
da rua se abriram, como a tua. Então, resta-te
saber com quem te irás cruzar, esta manhã: se
o rosto que vais fixar, por uns instantes, retribuirá
o teu gesto; ou se alguém, no primeiro café que
tomares, te devolverá a mesma inquietação
que saboreias, enquanto esperas que o líquido
arrefeça.

Bons voos...

10:02 AM  
Anonymous Brenna said...

passei pra dxar um olá...
o texto ta lindo
agora tb tenho um blog...hahaha
mas, me ajuda a melhorar dpois
um bjinho da sua amiga brasileira mais gira hahahaha

B.

7:22 PM  
Blogger ÁguaDiCoco said...

valeu galera!!

9:16 PM  

Post a Comment

<< Home